Imagine com Louis Tomlinson - Little White Lies

Little White Lies

Escrito para o Ficstape #014 do Fanfic Obsession

Foram através da escrita que eu consegui me encontrar,
então espero que leia estas palavras atentamente,
afinal elas foram escritas por um 
Coração Partido.

Terça-feira, 13 de Maio, Sydney, Austrália.

"Ruínas.
É assim que eu me encontro agora.
No momento, eu sei que se este quarto estivesse em chamas, eu não iria nem perceber porque eu só penso em você com suas mentirinhas contadas ao longo do nosso relacionamento. Eu sei que algumas delas foram inventadas para me proteger… Para nos proteger da mídia e dos fãs, contudo eu me pergunto a cada momento: “Será que alguma coisa foi real?”, “Será que algum ‘Eu te amo’ foi sincero?”, “Será que o amor que você dizia sentir por mim foi verdadeiro?”…
São essas dúvidas que me corroem de dentro para fora e sabe o que é pior?
Eu continuo me iludindo achando que algum desses momentos foi real e que agora você não está saindo com outra garota… Acho que a ficha não caiu, na verdade ela ainda não caiu.
Eu me sinto tão mal quando vejo suas fotos com essa nova garota estampada por todos os lugares em que eu vou, as pessoas me reconhecem como a sua ex e me cochicham sobre as especulações relacionadas ao nosso fim.
Eu preciso saber da verdade, querido. Ao menos uma vez eu preciso ouvir apenas a verdade…
Por que você me escolheu?
Por que me fez amá-lo se iria me machucar logo em seguida?
Não seria mais fácil ter sido sincero desde o inicio?
Eu me lembro do quanto você sorria ao meu lado e agora eu vejo que você não é mais tão feliz, o que está havendo?
Naquele dia quando você apareceu na porta de minha casa antes daquela tempestade, que lhe deixou sem alternativas a não ser me fazer companhia, senti meu coração bater descontroladamente contra o meu peito. Foi à mesma sensação de quando o conheci…
Foi à primeira vez, desde o nosso fim, que conversamos civilizadamente. Parecíamos os dois grandes amigos que éramos antes de nosso envolvimento e por um momento eu achei que poderíamos ser como antes, mas logo você diz que está ficando tarde e que não sabe se pode ficar sempre que eu me aproximo demais. Porém, nós dois sabemos que você não fala a verdade, não você… Você gosta de fazer joguinho.
Lembro-me perfeitamente de ter deixado-o partir, como se não me importasse de vê-lo dirigir naquele tempo horrível, porém assim que você passou pela porta levou meu coração novamente.
Juro que pensei em te ligar, apenas para saber se você estava bem, mas me detive porque eu sabia que você estaria com ela e não seria justo comigo, nem com ela.
Pior foi o ontem… Vou relembrar o motivo.
O som da campainha está tocando alto pela casa está noite. Fui ver quem seria o visitante e me surpreendi ao vê-lo ali parado enquanto me fitava com seus belos olhos azuis. Mas eles estão tão vermelhos… Espera! Você esteve chorando? Por quê?
Em um piscar de olhos seus lábios se grudaram aos meus.
Correspondi ao seu beijo desesperado, fazia tempo que eu não senti aquelas benditas borboletas no estômago, quando pensei em aprofundar nosso beijo lembrei-me da garota cujo qual você vivia apresentando a todos como “Minha Garota”…
Afastei-lhe de maneira brusca e de certo bruta entrando em casa rapidamente, mas você fez questão de me seguir, fechando a porta atrás de si.
Deus! Eu me senti tão mal… Mesmo não gostando da sua atual namorada.
Você segurou minha cintura e me girou em cento e oitenta graus, nos deixando frente a frente.
Suas mãos estão me tocando e os seus olhos ficam me dizendo coisas. Desviei meu olhar do seu, afinal eles estão dizendo o que fazemos quando sou só eu e você. Tentei me afastar, mas você sempre foi mais forte que eu e não permitiu que eu completasse o meu ato.
Irônico, não?
Você está me pedindo perdão por ter me magoado, mas nós dois sabemos que não é assim tão fácil. Você acabou de dizer que me ama e que por isso desistiu de ter uma vida ao lado da outra garota. Como você ainda tem coragem de tentar me enganar?
Ri desacreditada e empurrei-lhe para longe de mim. Caminhei até uma mesa onde ficavam dispostas algumas bebidas alcoólicas, enchi um copo com Vodka e caminhei até o sofá, sentei no mesmo e virei o conteúdo do copo em minha boda. Desceu queimando aquele líquido transparente… Foi sentada naquele sofá branco que eu chorei tantas vezes, foi ali que eu me embebedei, foi ali que eu dormi.
Novamente você está se desculpando, mas eu não me importo… Prefiro e preciso não me importar. Você começou a se irritar por eu estar lhe ignorando, resolveu me dizer que eu não deveria beber e que se preocupa comigo, mas quem disse que eu consigo acreditar?
Eu finalmente tomei a coragem de lhe expulsar da minha casa e isso trazia como conseqüência lhe expulsar da minha vida, isso significava que eu estaria livre de suas mentiras e eu precisava disso imediatamente. Então eu o expulsei sem pensar duas vezes.
“Eu não estou mentindo quando digo que te amo e que me arrependo por ter lhe machucado.”, foi o que você me disse antes de caminhar lentamente e tristemente até a porta da minha casa. Eu apenas lhe acompanhei até a mesma sem abrir minha boca. Eu não conseguia te falar nada, eu ainda não consigo, não pessoalmente…
O fato de você sempre ter sido um verdadeiro cavalheiro comigo te impedia de continuar forçando a barra e invadir o espaço que eu precisava, essa é uma das suas maiores qualidades e provavelmente a única verdadeira.
Quando eu achei que estaria livre dessa situação, você resolveu me analisar inteiramente por longos minutos e sorriu fraco. Eu não entendi de momento, mas foi em um “Clic” que eu soube o que você faria a seguir.
Eu realmente sinto muito por tudo, mas não posso lhe forçar a nada… Só espero que um dia eu consiga lhe explicar todos os meus motivos. Saiba que você… É a única mulher que eu quero para sempre e que você, e apenas você conseguiu me fazer ver e sentir coisas que eu jamais imaginei. Eu sei que acabei com quaisquer chances de termos algo, mas eu juro que você era a única pessoa que eu nunca quis machucar…”, você me confessou isso e eu chorei. Suas ultimas palavras antes de partir foram tão dolorosas, Louis .
“Eu estou vendo o monstro que sou por ter machucado alguém tão delicado quanto você e espero, sinceramente, que um dia você me perdoe! Então eu te liberto…”, e então você simplesmente me deu um beijo no topo da cabeça e partiu.
Se você soubesse o quanto aquilo me destruiu durante as horas que se passaram… Se você soubesse o quanto isso vai me perseguir durante essa semana e os próximos dias…
Louis, Eu te amo e isso não mudará.

Com amor,


Eu."
***
Domingo, 24 de Agosto, Sydney, Austrália.

"Já fazem alguns meses desde que nos vimos pela última vez e você realmente não me procurou, não me pressionou e respeitou o meu espaço, devo lhe agradecer por isso e por não ter esquecido um fato tão importante quanto esse sobre mim. 
Eu voltei a trabalhar duas semanas depois nossa conversa e não foi nada fácil… Todos me olharam com pena! Você melhor do que ninguém sabe o quanto odeio esse sentimento.
Isso me fez querer odiá-lo! Porém essa é uma tarefa impossível.
Novamente eu estou pensando em você e não consigo me concentrar. Aquela conversa onde só você falou não me saí da memória e isso é tudo o que eu estou pensando.
Você é tudo o que eu fico pensando e sempre que nossos momentos me vem a tona todo o resto simplesmente desaparece.
Lembro de mesmo contrariada pegar meu celular e discar o seu número. Você me atendeu logo no segundo toque, confesso que fiquei imensamente feliz com o ato, mas logo a realidade colocou meus pés no chão. Rapidamente lhe disse onde deveríamos nos encontrar porque eu finalmente estava pronta para ouvir o seu lado da história.
Você ficou tão feliz que eu do outro lado da chamada consegui sentir, aproveitei a ocasião e lhe pedi para que não se atrasasse, você prometeu…
Deixei com que a esperança me dominasse e fui estúpida ao acreditar em um mentiroso, mas você havia prometido… Suas promessas eram as únicas certezas que eu possuía, contudo você não só quebrou a sua promessa como me deixou sozinha aquela noite, sem nenhuma explicação. Você simplesmente não apareceu.
Quando eu voltei para casa e liguei a TV, entendi o motivo de você não ter dado as caras… A loira a qual você beijava um dia foi minha melhor amiga, acredita?
Foi em meio as lágrimas que eu percebi que as mentiras contadas foram maiores que tudo e que os nossos preciosos momentos nunca valeram de nada para você.

Com amor,
Eu!"


***
Terça-feira, 23 de Dezembro, Leeds, Inglaterra.

"Quase véspera de Natal e aniversário de alguém que eu conheço bem… Harry Judd (Sim, ainda sou louca pelo McFly)!
Eu estou na casa de meus pais por um tempo já que ultimamente não tenho estado muito bem… Não sei se você irá se preocupar, mas não é nada grave, ao menos eu espero que não seja. Só saberei o que tenho daqui duas semanas quando os exames estiverem prontos.
Hoje eu me lembrei dos planos malucos que sempre fazíamos para passarmos o Natal juntos, apenas eu e você. Lembrei que um desses seus planos me fez querer te socar, pois eu teria de mentir para os meus pais sendo que eu só precisava ser sincera… Ainda bem que não deu tempo de colocá-lo em pratica! Já pensou a confusão que teríamos arrumado?
Sabe? Eu descobri que conforme o tempo passa a saudade e a dor, vão diminuindo lentamente… Apesar de que em dias como este elas reaparecem com força, dói tanto. Porém, eu sei suportar.
Hoje a carta não será cumprida, pois eu deveria estar aproveitando com a minha família ao invés de estar trancado aqui, no meu antigo quarto lhe escrevendo. Minha mãe está certa chega um momento em que devemos dar adeus ao passado…
Contudo, eu preciso lhe ressaltar que se este quarto estivesse em chamas, eu não iria nem perceber porque eu só penso em você com suas mentirinhas.

Com amor,


Eu."


***
Domingo, 08 de Fevereiro, Londres, Inglaterra.

"Lembra aqueles exames que eu fiz? Então eles não trouxeram bons resultados, mas tudo bem! Amanhã sairá o resultado de outros, meus pais estão apreensivos enquanto eu estou em paz. Sei que você não se importa, mas eu ainda preciso desabafar.
Esses dias eu vi uma reportagem sua falando sobre uma nova namorada, você diz que ela é uma boa garota e dessa vez eu acredito em você. Afinal quem mais te apresentaria o perigo como eu fiz? Será que ela faria isso? Você conhece mais alguém que faria isso?
Mas eu sei que eu faria isso porque você fica dizendo a noite todas com suas mentirinhas o quanto ela te satisfaz e te completo.
Por Deus Louis!
Quão mentiroso você é? Até seus amigos sabem que você está mentindo. Ela até pode te satisfazer, mas completar? Não é um exagero de sua parte?
Isso me remete aquela noite no táxi, você se lembra dela?

Estamos no banco de trás do táxi e os lábios ficando tão apegados, o taxista nos deu uma bronca dizendo o quanto aquilo era desnecessário, mas apenas rimos fazendo com que ele ficasse com uma cara zangada enquanto nos levava ao nosso destino.
Eu estava achando tudo aquilo muito único, principalmente por nossas profissões envolverem a mídia e por isso você quer criar regras agora.
- É apenas para preservarmos as nossas imagens! – Você diz.
Para não brigarmos decidi aceitar essas regras sem contrariar, chega de brigas, ao menos por essa noite. O carro parou em frente ao nosso destino, enquanto você pagava pela corrida eu observava um casal se beijar sem se importar com o que os outros pensariam em frente à porta do local em que deveríamos comparecer.
- Legal! Depois vamos vê-los terminar… – Você me garantiu ao olhar o casal antes de sair do carro e me puxar para perto assim que os flashes começaram a explodir em nossos rostos. Eu não queria vê-los terminar nada, muito pelo contrário eu que queria que eles vivessem aquilo que jamais conseguiríamos, mas você não me entende.
Algumas bebidas e danças depois você está me acompanhando de volta para casa, eu mal me lembrava como deveria andar, porém o caminho de volta foi tão bom, cheio de conversas animadas e expectativas.
- Hoje à noite, eu sei o que você quer e eu estive esperando por muito tempo. – Essa foi a frase mais sem noção que já ouvi parada em frente a porta da minha casa, mas logo em seguida o beijo que você me deu mudou tudo.

Foi tudo muito bom enquanto durou e eu ainda tenha a mesma sensação de que se este quarto estivesse em chamas, eu não iria nem perceber porque eu só penso em você com suas mentirinhas. Acredita que ainda estou incrédula com o fato de que você diz por aí que ela é uma boa garota? Duvido que ela lhe beije dentro de um táxi igual aquela noite, mas eu sei quem faria isso.
Contudo, o momento em que devemos crescer chega e alguém tem que ceder… Então que seja eu a dar o primeiro passo.
Eu estou desistindo de você, querido Louis."


***
Domingo, 03 de Maio, Veneza, Itália.

"Hey Louis!
Já faz dois meses desde a última carta. Além de ter sido a última também foi a ultima vez que eu procurei saber algo sobre você… Então, como vai à carreira? Os meninos? Os fãs? A vida? Como vai você?
Eu estava seguindo com a minha vida quando vi meu nome no Twitter. As fãs perguntavam se eu vi sua ultima entrevista e quando eu neguei, pediram para que eu visse… Eu não o fiz.
Não o fiz por causa da promessa que eu fiz a mim mesma… Eu desisti de você e não voltaria atrás!
Bom, eu só escrevi essa carta, pois daqui a dez dias completara um ano desde o nosso fim e então será realmente o nosso fim definitivo, pois eu pararei de lhe enviar cartas, pararei de pensar em você, pararei com tudo… Quando for o ultimo dia eu lhe mandarei a ultima carta e essa será a minha despedida de você.
É hora de começar algo novo!
Hoje eu acabei me lembrando de todos os nossos momentos… Foi bom relembrar dessas coisas do passado, pois elas me fizeram mais forte e eu descobri que aquilo que eu sentia por você está mais fraco.
Sendo assim, até daqui dez dias, meu querido Lou!
Com carinho,


Eu."


***
Quarta-feira, 13 de Maio, Paris, França.

"Um ano, hein?
Finalmente a minha ultima carta destina a você, querido Louis.
Dessa vez eu tenho que lhe agradecer.
Obrigada por cada briga, reconciliação, lágrimas, sorrisos, gritos, sussurros, carinhos, brincadeiras, conversas inúteis, segredos compartilhados... Obrigada por cada pequeno detalhe e por todos os momentos simples ou complexos, cada um deles será muito bem guardado.
Agradeço a você por cada gesto demonstrado, a cada ensinamento e, principalmente, a cada uma das suas inúmeras mentiras.
Eu sei que você quer isso...
Eu sei que você sente isso também...
Então, vamos parar de fingir que você não sabe que eu sei só o que iremos fazer.
Sinto muito por não ter aguentado por mais tempo as suas mentiras, mas eu cheguei ao meu limite e já estava me esquecendo do meu amor próprio.


Com todo o carinho e amor,
(Seu nome completo).

P.S.: Acredita que eu ainda sinto que se este quarto estivesse em chamas, eu não iria nem perceber porque eu só penso em você com suas mentirinhas? Amo você...
P.S.2: Minha mãe lhe entregará as cartas quando for à hora certa!"






Nota da autora: Espero que tenham gostado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário