Power - T.K.O.

Pois ninguém te conhece, querida, do jeito que te conheço
E ninguém te ama, querida, da maneira que eu a amo
Já faz um bom tempo
Já faz um bom tempo
Talvez você fosse à prova de fogo
Pois ninguém me salva, querida, do jeito que você me salva




Eu já estava andando pelo meio daquela floresta há um bom tempo, mas pelo contrário do que achava de inicio, ainda não havia me perdido e nem estava cansada.

Desde o momento em que eu decidi completar essa missão suicida já sabia das minhas consequências depois.

Após muito andar, finalmente cheguei a onde eu queria. Me encontrava parada em frente aquela enorme cabana abandonada, sem pensar duas vezes dei os primeiros passos até a sua entrada.

Parei em frente aquela porta acabada, respirei fundo e girei  sua maçaneta. A porta se abriu rapidamente fazendo um barulho assustador, senti meu peito doer e foi então que eu percebi que havia prendido a minha respiração. Inspirei e expirei por longos segundos até tomar coragem e adentrar naquela cabana.

Sua sala continuava igual, com móveis cobertos com lençóis antes brancos sujos de poeira e de alguma outra coisa que eu não fazia questão de saber. Parei de andar quando cheguei no pé da escada, olhei a minha volta e subi as escadas com calma.

Assim que cheguei a seu topo consegui enxergar todo a sujeira do andar inferior, fiz alguma careta de nojo e voltei a andar. Dessa vez os corredores eram mais assustadores, sujos e escuros.

Ouvi o som de passos atrás de mim e olhei assustada para a mesma direção, porém não havia nada. Meu coração batia freneticamente e minha respiração já se encontrava irregular. Dei meia volta e continue meu caminho. Assim que virei as costas senti um vento gelado passar por meu corpo fazendo com que eu me arrepiasse, mas foi só chegar perto da porta que eu tanto queria senti um arrepio na espinha.

Fiquei parada naquela posição. Com a mão na maçaneta. Me senti observada e aquele arrepio não passava, meu coração já se encontrava incontrolável e foi então que eu decidi me virar.

Tudo aconteceu tão rápido e ele me nocauteou.

P.O.V Victoria Briggs

Eu estava esperando as meninas terminarem de se arrumar sentada na nossa minuscula sala. Logo três delas já estavam jogadas falando de algo que não me importei, eu estava preocupada com a (Seu nome), já fazia dias que ela andava estranha.

Me levantei em um pulo do sofá indo até o corredor atrás da minha mais nova amiga. Apesar de ser domingo e ser um dia livre, havíamos combinado de usar esse dia para sair desse inferno e aproveitar. Assim que cheguei a porta de seu quarto bati na mesma e não ouve nenhum som do outro lado. Repeti o gesto e nada. Coloquei minha mão na maçaneta a girando em seguida, a porta se abriu e eu não vi ninguém no quarto. Adentrei o mesmo atrás de alguma pista e nada.

Sai do quarto fechando a porta atrás de mim e voltei para a sala, sentando irritada no sofá. Imediatamente Amber, Ella e Rebecca pararam de falar e me encararam curiosas.

- O que houve?- perguntou Amby preocupada.
- A (Seu nome) não estava no quarto.
- E onde mais ela estaria?- perguntou Ella.
- Ela saiu no meio da madrugada.- falou Becky se levantando.

Eu a encarei incrédula, mas ela apenas balançou os ombros para cima e para baixo.

- Sabe a onde ela foi?- perguntei tentando manter a calma.
- Não!- respondeu ela.

Antes que eu falasse alguma outra coisa batidas na porta foram ouvidas. Ella bufou e se levantou indo até a mesma. Assim que ela abriu cinco garotos entraram animados e falando sem parar.

Ambos depositaram beijos em nossas bochechas e se jogaram no sofá.

- Cadê a (Seu nome)?- perguntou Zayn roucamente ao meu lado. Meu coração acelerou e eu fiquei sem saber o que responder.
- Saiu no meio da madrugada e até agora nada!- responder Amby preocupadamente.

A sala ficou em silêncio por pouco tempo.

- Como assim saiu no meio da madrugada?- perguntou Harry exasperadamente preocupado.
- Saindo!- respondeu Becky balançando os ombros para cima e para baixo.
- Para de fazer isso que irrita!- apontei para ela que riu e repetiu o gesto.- Idiota!- disse segurando o riso.
- Voltando ao caso (Seu nome)...- se pronunciou Liam preocupado.
- Eu realmente não sei o que anda acontecendo com a minha amiga.- desabafei.
- Vai ficar tudo bem.- Zayn me abraçou e tentou me tranquilizar, mas a única coisa que fez foi apenas me deixar mais agitada.
- Pombinhos!- chamou Ella.
- Não somos pombinhos!- eu e Zayn respondemos juntos.
- Que lindo! Eles falam até juntos.- debochou Louis. Todos ali na sala caíram na risada, mas fomos interrompidos pelo som de batidas na porta.

Me levantei e caminhei até a porta, assim que a abri qualquer sinal de alegria se desfez.

- (Seu nome) está?- perguntou ele diretamente.
- Não. Volte amanhã!- respondi pronta para fechar a porta.
- Espere!- pediu ele impedindo de eu fechar a porta.
- Fale!
- Você sabe para onde ela foi?- perguntou ele preocupado.
- Não e se soubesse não te falaria nada.- respondi cinicamente.
- Mesmo que custasse a vida dela, Victoria?- perguntou ele novamente.
- Como assim, Henry?
- Deixa de lado!- falou ele me dando as costa. Fiquei irritada com aquela atitude e o puxei pelo braço.
- Não me dê as costas!- ordenei.
- Então não seja tão mimada, Victoria!- disse ele irritado.
- Não sou mimada!- rebati.
- Posso entrar e ver se acho alguma pista ou está difícil?- perguntou ele rudemente.
- Ainda não sei como a (Seu nome) pode achar você legal, mas entra!- falei e lhe dei passagem para entrar, assim que o mesmo o fez respirei fundo e entrei.

Pude perceber a diversidade no rosto de cada um ali.

- Olá, Henry! Como vai?- perguntou Amber "como sempre educada" Brown.
- Vou bem e você?- perguntou ele educadamente.
- Bem. Obrigada por perguntar!
- Não por isso. Mas, então Victoria onde fica o quarto dela?- perguntou ele voltando a ter aquela pose fria.
- Na put...!- antes que eu respondesse alguém colocou a mão em minha boca.
- O que ela está querendo dizer é: por que você quer entrar no quarto da (Seu nome)?- perguntou Beck calmamente. Eu um dia ainda socaria a cara dela no asfalto.
- Se eu entrar no ultimo lugar em que ela esteve consigo ver as ultimas coisas que ela fez, ouviu, sentiu e pensou.- respondeu ele.
- Seus poderes são interessantes!- comentou Niall.
- Obrigado.- agradeceu ele.
- E por que você quer saber das ultimas coisas que a (Seu nome) fez?- perguntou Harry.
- Porque eu contei algo a ela e agora estou temendo por sua vida.- respondeu ele com sinceridade(?)
- O que você contou a ela?- perguntou Ella.
- Que o irmão dela foi capturado pelo Sombra.- falou ele baixo.

A sala ficou quieta de repente. Agora eu entendi o porque dela ter ido no dia anterior para a aula distraidamente, foi por isso que ela se fechou para o mundo novamente. Logo agora que estávamos fazendo progresso.

- Como podemos ajudar?- perguntei prontamente.
- Primeiro me deixem entrar no quarto dela.
- Certo!- concordei o levando pelo corredor.

Assim que chegamos ao quarto da (Seu nome), ele entrou e tirou as luvas que ele estava usando. Ele logo começou a tocar nas coisas, porém ele logo parou e se sentou na cama. Seus olhos antes verdes se tornaram pretos, sua pele levemente bronzeada ficou pálida e seus lábios vermelhos ficaram roxos, me assustei, mas não saí dali.

- Estamos ferrados!- comentou ele se levantando ainda daquela forma.
- O que você está vendo?- perguntei assustada.
- Ela decidiu que irá enfrentar o Sombra sozinha!- falou ele voltando ao normal.

[...]

Fazia algum tempo em que estávamos sentados na sala discutindo o que fazer para achar a (Seu nome), mas nenhum solução havia sido encontrada. Além disso, John, Miguel, Patrick e Robert estavam ali.

Todas essas pessoas e nenhum solução. Me levantei irritada e sai do meu dormitório ouvindo meu nome ser chamado diversas vezes.

Andei por todo o colégio até me lembra de alo que uma vez (Seu nome) havia me contado.

"O Sol iluminava aquele local no meio da floresta e deixava tudo menos assustador.

- Sabe eu gosto da Natureza!- comentou (Seu nome) andando a minha frente.
- Eu também, mas é ela lá e eu cá!- disse a fazendo rir escandalosamente.
- Vou me lembrar disso, Vick!- falou ela se virando em minha direção com aquele seu enorme sorriso.

Continuamos nosso passeio em silêncio, apenas observando ao nosso redor.

- Eu acho que já estive em uma floresta antes, Vick!- falou ela diminuindo o passo.
- Sério? Por que diz isso?- perguntei parando ao seu lado.
- Porque eu já vi aquela cabana antes e as lembranças relacionadas a ela não são nada boas.

No mesmo instante um vento frio passou por mim arrepiando a minha coluna por completo, dei um passo para trás, mas ela segurou a minha mão.

- Temos que sair daqui. Rápido!- disse ela me puxando correndo para o caminho contrário ao que estávamos. Pude ver de relance algo sombrio sair da cabana e foi isso que me fez acelerar o passo.

Depois de incontáveis minutos correndo desesperadamente nos encontrávamos longe o suficiente daquele local anterior. Nossas respirações se encontravam irregulares, mas assim que nos olhamos ao invés de eu me assustar com a cor de seus olhos, caímos na gargalhada.

- Se algum dia algo me acontecer me procure naquele local, hein?- falou ela divertida.
- Claro!- respondi ironicamente."

Claro! A cabana. Por que eu não me lembrei dela antes?

Voltei correndo para o dormitório e abri a porta com tudo assustando a todos, fui direto para o meu quarto e coloquei uma roupa confortável que desse para correr.

- Coloquem roupas confortáveis e sapatos que de para correr. Eu esperando vocês no patio!- avisei voltando para a porta, mas me lembrei de algo.- Vocês tem vinte minutos.

Sai dali novamente e caminhei com calma até o pátio, Assim que cheguei no mesmo pude ver as garotas fúteis do colégio combinarem algo, vi outros alunos estudando e alguns apenas saindo em sentido do portão principal.

Em aproximadamente dezenove minutos todos estavam ao meu redor esperando por explicações ou algo parecido.

- Me sigam! Explico no caminho...- me levantei e sai andando.

Saímos da escola e depois de um tempo estávamos no começo da floresta.

- O que estamos fazendo aqui?- perguntou Niall assustado.
- Vamos atrás da (Seu nome)!- respondi firmemente, enquanto criava coragem para entrar naquele local novamente.
- Tem certeza de que ela está ai no meio?- perguntou Amber tentando ter certeza de que aquilo não era uma pegadinha.
- Tenho! Não se preocupe eu já estive aqui com ela e sei onde ela poderia estar.- respondi firmemente.
- Então estamos esperando o quê?- perguntou Harry determinado.
- Vamos!- concordei e comecei a guia-los floresta adentro.

Fazia um bom tempo em que estávamos andando no meio daquele local que conforme passava escurecia mais um pouco. Eu podia ouvir as reclamações das garotas quando algum inseto as incomodava ou quando elas sentiam algum arbusto ou grama as tocavam, me segurei para não rir diversas vezes e outras eu acabava simplesmente gargalhando. Já os garotos mal dava para saber que eles s encontravam ali, vez ou outra eu tinha que conferir se os mesmos ainda me seguiam.

Finalmente eu consegui ver aquela cabana. Dessa vez ela não estava iluminada pelo Sol, pelo contrário ela estava completamente sombria e escura. Novamente aquele arrepio voltou e eu dei um passo para trás instintivamente.

Acabei esbarrando em alguém, mas não fiz questão de pedir desculpa ou algo parecido. Respirei fundo repetidas vezes a espera de conseguir me acalmar, contudo não estava funcionando.

- Eu sei que você está com medo.- falou Henry, eu o encarei incrédulo, mas ele levantou as duas mãos em sinal de rendição.- Não se preocupe, eu também estou, Briggs!
- O.k.!- foi a única coisa que consegui pronunciar.
- Vamos?- perguntou Miguel passando a minha frente e estendendo a mão para mim. Eu aceitei e ele me puxou fazendo com que eu andasse a apenas poucos centímetros atrás do mesmo.

Caminhamos com certo receio até a entrada do local e assim que o John fez sinal de a empurrar a porta a mesma se abriu. Arrancando gritos agudos das meninas e grunhidos estranhos dos garotos.

Eu quase havia tido um ataque do coração. Mas, assim que o susto passou, comecei a rir loucamente.

- Está rindo do quê?- perguntou Louis assustado.
- Deve ter enlouquecido de vez!- comentou Patrick.
- Calem a boca!- disse rindo.

Porém logo me calei após ouvir o som da voz da (Seu nome). Me soltei de Miguel e entrei na casa as cegas, ouvindo meu nome ser chamado várias vezes. Antes que eu chegasse as escadas, senti duas mãos me segurarem, virei na mesma direção e encontrei Zayn e Robert me segurando. Me desvencilhei dos dois e estava pronta para voltar a andar quando senti Liam me abraçar.

- O que você acha que está fazendo?- perguntou Ella se aproximando.
- Eu a ouvi...- falei tentando colocar os meus pensamentos em ordem.
- Ouviu quem?- perguntou Harry.
Ela!- respondi baixo e no segundo seguinte a porta principal por onde havíamos entrado foi fechada com toda a força. Miguel correu até a mesma na expectativa de abri-la, todavia nada aconteceu. Ele não conseguiu abrir a porta e a mesma não se mexeu.

"Victoria!"

Novamente ouvi meu nome ser chamado e dessa vez consegui subir as escadas sem ser impedida. Ouvi meu nome ser chamado e xingamentos serem pronunciados.

Aquele local era imenso totalmente diferente do que aparentava por fora. Sendo que do lado exterior sua aparência era de uma cabana velha e acabada, com todos os indícios de que ninguém morava, morou ou moraria ali. Entretanto o seu interior era inexplicavelmente diferente do anterior, pois só a sua sala era enorme, imagine os outros cômodos que eu simplesmente passei e ignorei.

O corredor era imenso e longo.

"Victoria!"

Novamente ouvi meu nome ser sussurrado e eu apenas segui seu som, parando em frente a ultima porta daquele corredor. Engoli em seco e girei a maçaneta. Ouvi o 'click' da porta e a empurrei calmamente.

No instante seguinte, fiquei em choque com cena a minha frente.

Meus pais e irmãs estavam amarrados sentados em uma cadeira, todos muito machucados. Adentrei o quarto e a porta atrás de mim se fechou no segundo seguinte, dei um grito agudo involuntário.

Dei dois passos a frente assim que percebi que gritar e socar a porta não iria me libertar dali. Estava pronta para dar mais um passo a frente quando tudo aquilo passou e no lugar do corpo de meus familiares amarrados apareceu o corpo de cada um deles ensanguentados com um corte profundo no estomago.

Cai de joelhos e comecei a chorar desesperadamente. Ouvi o som da porta sendo aberta, levantei meu olhar assustada e desesperada para a direção do som, e quando eu achei que o pior não poderia acontecer, aconteceu.

P.O.V Victoria Briggs

P.O.V Henry H. Bailey

Victoria havia aproveitado um momento de distração do idiota do Styles e subiu as escadas correndo. Pensei em dar um murro naquele retardado, mas antes que eu tomasse qualquer atitude o som de seu grito ecoou por toda a casa.

No mesmo instante meu corpo se arrepiou. Dei um passo a frente, porém o Malik me empurrou e ia subir as escadas correndo se não fosse por seus amigos o segurando com força.

- Não adianta agir sem pensar, Zayn.- falou Amber tentando manter a calma.
- Você fala isso porque não se importa com ela...- bradou ele irritado, enquanto se debatia tentando se soltar.
- Não fala assim com ela, Malik!- falei irritado e sem pensar.
- Obrigada!- sussurrou ela dando um sorriso fraco, eu apenas lhe retribui o sorriso.
- Não adianta perdermos a cabeça, pois não sabemos a onde estamos e a nossa única esperança de voltar para casa está lá!- disse e apontei na direção das escadas.
- E o que você sugere, sabichão?- perguntou Harry debochadamente.
- Nada. Só que quero que usemos a cabeça antes de tomar qualquer decisão ou antes de magoar pessoas que nos importam.- falei e percebi no instante seguinte que a minha pequena indireta havia surtido efeito, pois logo Zayn parou de se debater e se virou na direção na direção de Amber, enquanto isso Harry estava com a cabeça baixa.
- Eu sinto muito, Amby!- falou Zayn se aproximando da mesma e a abraçando.
- Não se preocupe com isso agora. Tenho que achar as minhas amigas!- decretou ela se afastando do mesmo e parando ao meu lado.- O que vamos fazer?
- Eu não sei ao certo...- comentei pensativo.
- Ótimo!- disse Harry erguendo as mãos acima da cabeça, eu o encarei e balancei a cabeça negativamente.
- Diga-nos qual seria a sua ideia, gênio!- provoquei.
- Estou terminando de acrescentar um detalhe importante a ela.
- E qual seria?
- Tirar você da jogada!- bradou ele.

Fechei minhas mãos em punhos e respirei fundo contando mentalmente até vinte, pois até dez não adiantaria.

- Pare de provoca-lo Harry. Não é hora para isso!- disse Ella pela primeira vez.
- Temos que nos unir, pois o que pude perceber desse lugar é que não sairemos tão cedo...- falou Liam encarando Ella.
- Onde está o Patrick?- perguntou John se levantando do sofá em que estava sentado.
- Eu estou aqui!- anunciou ele surgindo de uma das portas.- Precisa ir ao banheiro. Onde está o Robert?
- E o Miguel?- perguntou Becky.
- Outro mistério em mãos!- bufou Niall assustado.
- Então vamos resolvê-los logo, porque esse lugar está me dando nos nervos!- comentou Louis arrancando risadas nervosas de todos nós.

P.O.V Henry H. Bailey











Capitulo Anterior                                                                                        Próximo Capítulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário